terça-feira, 25 de novembro de 2008

ARTÊMIA



Artêmia é um pequeno crustáceo que pertence ao filo Arthropoda e à classe dos crustáceos. que habitam a terra a mais de 300 milhões de anos. São zooplanctons como Dáfnia e Copepoda, os quais também são usados como alimento vivo. Seu tamanho é de 8 à 10mm de comprimento e sua cor pode ser vermelho claro, rosado, cinza claro ou castanho, variando de acordo com o meio em que vive e os alimentos que ingere. Quanto mais avermelhadas melhor, pois contém mais Caroteno (substância que estimula as cores dos peixes). É um dos melhores alimentos para alevinos, peixes novos e peixes em tratamento, pois é muito rica em proteínas e vitaminas (principalmente a protovitamina A e o Caroteno) e sais minerais. Suas qualidades nutritivas aceleram a recuperação, já que artêmia em grego significa saúde. Esta espécie está adaptada à grande mudança ambiental, como variações abruptas de salinidade, de temperatura e de oxigênio dissolvido.


Anatomia:


O corpo está dividido em cabeça, tórax e abdome. A cabeça consiste de dois segmentos fusionados que suportam dois olhos pedunculados, um olho naúpilo, assim como as antênulas e antenas. As antênulas filiformes estão localizadas na parte dorsal. As antenas dos machos são transformadas em órgãos de preenssão. Nas fêmeas elas são curtas e foliáceas. O corpo está dividido em cabeça, tórax e abdome. A cabeça consiste de dois segmentos fusionados que suportam dois olhos pedunculados, um olho naúpilo, assim como as antênulas e antenas. As antênulas filiformes estão localizadas na parte dorsal. As antenas dos machos são transformadas em órgãos de preenssão. Nas fêmeas elas são curtas e foliáceas.

Habitat:
As artêmias vivem em lagos de alta salinidade e não no mar, apesar do nome confundir um pouco. Vive normalmente em lagos de água salgada ou salobra. Pode, no entanto, viver em águas preparadas artificialmente ou mesmo em águas doces, durante algum tempo. O habitar nativo da Artemia sp aqui na Região dos Lagos, estado do Rio de Janeiro, Brasil, é a Lagoa de Araruama, uma lagoa costeira hipersalina, que foi formada cerca de cinco mil anos atrás devido aos movimentos de avanços e recuos do mar, formando uma língua de areia, que a separou do oceano, deixando porém, um canal de comunicação permanente, o Canal de Itajurú. Este canal ainda é a fonte de alimento deste ambiente , pois é através dele que ocorre a renovação da água e a entrada de animais e plantas (Barroso,1987). O famoso lago de Salt Lake nos Estados Unidos é um exemplo de habitat das artêmias.

Reprodução:
Dependendo dos diferentes parâmetros fisiológicos e bioquímicos do ambiente, as populações de Artemia se reproduzem sexualmente ou parterogeneticamente, liberando náuplios ou cistos. Os ovos são divididos em ovários pares, que se situam nos dois lados do trato digestivo, atrás dos toracópodos. Uma vez maduros os ovócitos são transferidos via ovidutos para dentro do útero. Neste momento se efetua a copulação. O macho flexiona seu abdome para frente e uma da patas que possui é introduzida na abertura do útero onde os esperma são depositados. O que irá determinar se a fêmea será ovípara ou ovovivípara serão os fatores ambientais, um exemplo destes fatores é a alta salinidade.

Cistos:



Diâmetro médio de 0,2 a 0,3 mm com peso entre 2,8 a 4 mg.


Jovem Naúpilo:


Tamanho de 0,45 mm de comprimento e 0,1mm de largura com peso de 0,01 mg. Passa de metanaúpilo fase I e II graças as reservas vitelinas. Durante os próximos 7 a 10 dias passa para os estágios metanaúpilo III e IV, que diferem um do outro no grau de segmentação do corpo, na transformação da 2ª antena e na aparência das pernas torácicas. Durante esse período o corpo aumenta de 0,5 para 2,5 a 4 mm. O náupilo de artêmia pode dobrar de tamanho em pouco mais de 24 horas. Os náuplius podem viver várias horas na água doce, o que permite o seu emprego na alimentação de peixes e outros animais que vivam nesse ambiente.Jovem:Com 5 a 6 mm até adulto 15 a 16 mm. Estão quase sempre acasalando.




Crescimento -


15 estágios do ovo até a maturidade sexual que é atingida em duas etapas. Podem produzir 200 náuplios a cada cinco dias. Período de vida 21 dias.(Costa,1984)Ovos:Os ovos são divididos em ovários pares, que se situam nos dois lados do trato digestivo, atrás dos toracópodos. Uma vez maduros os ovócitos são transferidos via ovidutos para dentro do útero. Neste momento se efetua a copulação. O macho flexiona seu abdome para frente e uma da patas que possui é introduzida na abertura do útero onde os esperma são depositados. O que irá determinar se a fêmea será ovípara ou ovovivípara serão os fatores ambientais, um exemplo destes fatores é a alta salinidade.



Alimentação:




A Artemia salina obtém seu alimento pela filtração da água, podendo ingeriralimento com um tamanho de 5 a 50 micron.



O ciclo de vida:
ovo - antes da eclosão, náuplius - são as larvas após a eclosão, jovem - com 6 dias de idade e adulto, quando atinge 10 dias de idade. O tempo de vida da artêmia é de 6 a 12 meses.
As Artêmias são ricas em proteínas, vitaminas (caroteno) e sais minerais, por isso são utilizadas em larga escala em cultivo de camarões e peixes na fase larval, acelerando o crescimento dos animais, recuperando os indivíduos doentes, deixando-os mais sadios. Apresentam-se como excelente dieta alimentar para peixes e crustáceos no ambiente natural, devido a isso preferem habitar locais com difícil sobrevivência para outras espécies , como salinas que atingem temperaturas de até 40ºC e salinidade de até 300 partes por mil, pois são menos predadas (Medel, 1997).


Este microcrustaceo é amplamente utilizado na aqüicultura, para alimentar as diversas fases larvais e pós- larvais de peixes e crustáceos. Os náuplios de Artêmia tem um alto valor nutritivo, larvas com poucas horas de vida possuem: 42 % de proteinas, 23,2 % de gordura e 6 calorias por grama, enquanto o juvenil com 6 dias tem 59,72 % de proteina, 7,0 % de gordura. Os indivíduos adultos com 10 dias tem 62,78% de proteinas e 6,5 % de gordura. O corpo de Artemia sp desde a fase de náuplio até adulto, não possui carapaça rígida de quitina, facilitando a alimentação dos peixes e camarões nas fases larvas e pós-larvas já que o aproveitamento é total

Postagens populares

VÍDEOS SOBRE O MAR

Loading...

National Geographic POD

Loading...

Google+ Followers

Google+ Badge