quarta-feira, 22 de outubro de 2008

ÁGUA VIVA OU MEDUSA



A água-viva é provavelmente uma das criaturas mais estranhas e misteriosas que você poderá encontrar. Com seu corpo gelatinoso e seus tentáculos bamboleantes, ela se parece mais com algo de um filme de terror do que com um animal de verdade. Mas se conseguir deixar a estranheza de lado, e o fato de que se você chegar muito perto de uma água-viva resultará em uma ardência terrível, irá descobrir que ela é muito fascinante. A água-viva existe há mais de 650 milhões de anos e é representada por milhares de espécies diferentes, sendo que novas espécies são descobertas a todo o momento. Quase transparente e de consistência gelatinosa, a água-viva parece à primeira vista, um animal inofensivo. Em contato com a pele humana, porém, provoca desde queimaduras leves até graves irritações que em casos extremos, podem matar uma pessoa. Felizmente, na costa brasileira não se encontram espécies que podem levar à morte, como ocorre na Austrália, onde foram registrados inúmeros casos fatais nos últimos anos. Frequentemente em todo o litoral brasileiro, a água-viva ou medusa pertence ao grupo dos cnidários. A água-viva faz parte do filo dos Cnidários, (da palavra grega "urtiga que queima") e da classe dos Cifozoários (da palavra grega "xícara ou taça", referindo-se ao formato do corpo da água-viva).


Características


As águas-vivas são animais marinhos, que variam de tamanho, podendo medir de menos de 2,5 cm a cerca de 2m, com tentáculos chegando até a 30,5 m de comprimento. O corpo da água-viva geralmente é composto de seis partes básicas: · a epiderme, que protege os órgãos internos; · a gastroderme, que é a camada interna; · a mesogléia, ou parte gelatinosa intermediária, entre a epiderme e a gastroderme; · a cavidade gastrovascular, que funciona como um conjunto do esôfago, estômago e intestino, tudo em um só; · um orifício que funciona como boca e ânus; · tentáculos que formam a extremidade do corpo. Embora muitas sejam planctônicas, ou seja, sua locomoção depende da mercê das correntes ou é tão limitada que não podem vencê-las, algumas água-vivas conseguem nadar lançando um jato de água. Todas as espécies dos cnidários têm uma boca no centro do corpo, e envolvida por tentáculos. Outros cnidários, parentes da água-viva incluem corais, anêmonas do mar e a caravela-portuguesa. A água-viva é composta por cerca de 98% de água. Se ela encalhar na praia, praticamente irá desaparecer à medida que a água evaporar. A maioria é transparente e tem o formato de um sino. Seu corpo tem simetria radial, o que significa que os membros se estendem de um ponto central como os raios de uma roda. Se você cortar uma água-viva pela metade em qualquer ponto, sempre terá partes iguais. Ela tem um corpo muito simples: não possui ossos, cérebro nem coração. Para ver a luz, detectar odores e se orientar, a água-viva tem nervos sensoriais rudimentares na base de seus tentáculos.



Espécies


São conhecidas mais de 200 espécies de águas-vivas, cada uma com suas peculiaridades. Existem tipos de tamanhos variados e nem todos representam risco ao homem. Das espécies de Água-Viva que têm ação tóxica e que habitam a costa nacional, as mais importantes são a Chiropsalmus quadrumanus(de pequeno porte e encontrada no litoral nordeste) e Tamoya haplonema (animais maiores, normalmente encontrados em mar-aberto). Medusas medem de poucos centímetros até mais de 2 metros de diâmetro. Depende da espécie. Em algumas espécies os tentáculos chegam a 30 metros de comprimento. É neles que ficam os minúsculos arpões venenosos, que provocam as queimaduras. Em algumas espécies mais evoluídas, este veneno mata até mais de que os temidos tubarões. Mas ele não afeta a tartaruga marinha. É que sua carapaça é formada por queratina, que neutraliza o veneno.


Algumas águas-vivas são pequenas (dois centímetros), outras são grandes (dois metros).– Algumas dependem das correntes marítimas para se mover, outras já sabem nadar.– Algumas são pouco tóxicas, outras são muito tóxicas. A maioria não possui o órgão da visão, mas algumas possuem vários olhos ao longo do corpo. De perto esses olhos lembram os nossos. Possuem até retina, apesar de ainda serem rudimentares


Alimentação - Algumas se alimentam de plânctons, outras de peixes e crustáceos. Alimentação Saiba: o tipo mais comum de água-viva Aurélia e tem no máximo a 25 centímetros de diâmetro. Tamanho não é nada: a Aurélia abate até dez filhotes de salmão por hora. Os celenterados são animais carnívoros, e se alimentam de pequenos crustáceos, de larvas de insetos, de moluscos e de pequenos peixes. Por ação dos cnidoblastos, o celenterado paralisa a sua presa, que é recolhida pelos tentáculos até a boca. Depois de sofrer digestão extracelular e intracelular, o alimento é distribuído por difusão para todas as outras células do corpo




Reprodução
Uma água-viva adulta é uma medusa, que recebeu este nome por causa de Medusa, a criatura mitológica com cobras no lugar do cabelo, que poderia transformar os seres humanos em pedra com um simples olhar. Depois que o macho libera seu esperma na água por seu orifício, o esperma nada até o orifício da fêmea e fertiliza os óvulos. A fêmea simplesmente libera óvulos no mar, que são fertilizados pelo macho. Algumas espécies adotam o embrião, como numa gravidez , até que o ovo se transforme em larva. Uma medusa leva até 2 anos para chegar à fase adulta. A maioria dos celenterados apresenta reprodução sexuada e assexuada, sendo grande o número de espécies que apresenta alternância de gerações (metagênese). Nesse caso, a forma polipóide produz assexuadamente pequenas medusas que, após um período de desenvolvimento, produzem gametas de cuja fusão resulta o zigoto. Várias dezenas de larvas de água-viva podem ser concebidas de uma só vez. Finalmente, elas flutuam nas correntes e procuram uma superfície sólida para se fixarem, como uma rocha. Ao se fixarem, elas se tornam pólipos, cilindros ocos com uma boca e tentáculos na parte superior. Posteriormente, os pólipos se desenvolvem em uma água-viva jovem, chamada éfira. Depois de algumas semanas, a água-viva se desprende e se desenvolve, tornando-se uma medusa adulta. Uma medusa vive cerca de três a seis meses.


Habitat
As medusas, popularmente conhecidas como "água-viva" ou "mãe-d'água", vivem nos mares e oceanos de todo o mundo, de regiões polares a tropicais e de águas rasas até muito profundas. Elas pertencem ao plâncton marinho, embora haja também espécies de água doce. As medusas são animais cnidários (grupo das anêmonas-do-mar, corais pétreos, corais-de-fogo e gorgônias) e, em muitos casos, têm no ciclo de vida um estágio fixo, conhecido como pólipo, organismo geralmente pequeno que lembra uma anêmona-do-mar. Por serem carnívoros e surgirem em quantidade, podem provocar um razoável impacto sobre os demais animais, pois atacam ovos e larvas de várias espécies de peixes, inclusive algumas de interesse comercial. O curioso é que elas servem como alimento para certas tartarugas marinhas. Na costa brasileira, felizmente, não há nenhuma espécie capaz de matar um homem ou causar alguma lesão grave, o que é comum em algumas regiões da Austrália. No Oriente, algumas delas são tidas como deliciosas iguaria
.


Em caso de contato com uma água Viva ou Medusa


Estes animais possuem célulaA Água-Viva ou Medusa são animais que possuem uma célula especial modificada, o cnidoblasto, capaz de liberar um líquido urticante responsável pela irritação na pele humana. No Brasil, as espécies que possuem ação tóxica sobre o homem são a Chiropsalmus quadrumanus (de pequeno porte e encontrada no litoral nordeste) e Tamoya haplonema (animais maiores, normalmente encontrados em mar-aberto).Se a queimadura acontecer, nunca lave o local com água doce, pois isso ativa as substâncias venenosas. Use água do mar ou soro fisiológico. Aplicar compressas de vinagre ajuda a reduzir a dor. Depois, com pele ainda molhada, jogue um pouco de areia seca, talco, creme de barbear ou farinha de trigo. Deixe por alguns minutos. Retire devagar a camada sobre a queimadura e procure orientação médica. 1. Inicialmente lavar a região afetada com a própria água do mar (não usar água doce)2. Não se deve friccionar a área afetada, pois pode estourar os cistos remanescentes e agravar os sintomas.3. Se a região for tocada com as mãos, evitar contato com a face.4. Retirar os restos do animal que porventura ainda estejam grudados na pele (a retirada deve ser feita com pinças ou luvas). Você sabia que nossas amigas estão entre os mais antigos habitantes da Terra? Seus ancestrais surgiram há uns 700 milhões de anos! Até hoje, descobriram-se mais de nove mil espécies de medusas. Tem até uma luminescente! Verão é seu tempo de reprodução de. Por isso elas aparecem mais nas praias. Cuidado: a queimadura de água-viva pode ser fatal. Uma das medusas mais comuns é a medusa de lua (Aurelia aurita), que se encontra em quase todos os Oceanos do mundo.
A água-viva é provavelmente uma das criaturas mais estranhas e misteriosas que você poderá encontrar. Com seu corpo gelatinoso e seus tentáculos bamboleantes, ela se parece mais com algo de um filme de terror do que com um animal de verdade. Mas se conseguir deixar a estranheza de lado, e o fato de que se você chegar muito perto de uma água-viva resultará em uma ardência terrível, irá descobrir que ela é muito fascinante.

Postagens populares

VÍDEOS SOBRE O MAR

Loading...

National Geographic POD

Loading...

Google+ Followers

Google+ Badge