terça-feira, 9 de setembro de 2008

CARANHA


Nome Popular
Caranha - Gray Snapper

Nome Científico -

Lutjanus cyanopterus

Família -

Lutjanidae

Distribuição Geográfica


Regiões Norte, Nordeste e Sudeste (do Amapá ao Paraná). Muito comuns ao longo de toda a Costa brasileira, as caranhas freqüentam fundos rochosos e de recifes, podendo também ser encontradas em regiões estuarianas, com teores reduzidos de sal. Quando a maré está alta e as águas do mar quando estão com boa visibilidade, entrando rio adentro, muitos mergulhadores apanham este peixe no arpão sob os pilares da antiga ponto do trem. Também existem em número considerável nas Ilhas Queimadas
Ocorrência –







toda a costa brasileira.

Hábitos –

têm o hábito de se alimentar à noite, quando ficam mais ativas. Durante o dia costuma fica entocado. Os peixes jovens formam grandes cardumes, que, às vezes, se misturam a cardumes de outros peixes. Muito voraz

A
meaças


poluição e destruição do habitat.

Descrição
Peixe de escamas; corpo forte e alongado; cabeça e boca grandes. Uma das características é a presença de dentes caninos. A nadadeira dorsal é espinhosa e a caudal pouco furcada. A coloração é muito variável, pode ser pardo esverdeado, com manchas escuras indistintas, róseo escuro ou pardo avermelhado, dependendo da profundidade em que o peixe está; as nadadeiras dorsal e caudal são cinza escuro, as peitorais, ventrais e anal são claras ou róseas. Alcança cerca de 1,5m de comprimento total e 60kg. A espécie mais comum, L. griseus, também conhecida como caranha, é bem menor, alcançando 65cm e 8kg.
Peixe muito comum ao longo da costa brasileira, encontrado em áreas rochosas e de recifes. Pode entrar nos estuários até as áreas de água doce. Durante o dia costuma ficar entocado, saindo à noite para se alimentar. Na fase jovem, alimenta-se de peixes, crustáceos, moluscos e equinodermos, tornando-se exclusivamente piscívoro quando adulto. Os peixes jovens formam grandes cardumes, que, às vezes se misturam a cardumes de outros peixes, como a guaiúba. Espécie muito voraz.




Reprodução
Apresenta melhor crescimento em águas com temperatura variando entre 20 e 30º Celsius, suportando até 12ºC por período não muito longo. Tem grande prolificidade, com maturação sexual aos quatro anos de idade.







Postagens populares

VÍDEOS SOBRE O MAR

Loading...

National Geographic POD

Loading...

Google+ Followers

Google+ Badge