domingo, 7 de setembro de 2008

BARRACUDA


Barracuda ou Bicuda ou Great Barracuda

Nome Científico: Sphyraena barracuda

Família: Sphyraenidae

anatomia

Ainda conforme Peixes da Costa Brasileira, seu corpo é alongado, pouco alto, algo comprimido. Cabeça grande, maxilar poderoso, ultrapassa a margem anterior do olho e tem dentes caninos, alguns impressionantes. As nadadeiras dorsais são bem separadas, a anterior com origem após a origem da pélvica. A peitoral ultrapassa origem da pélvica. A nadadeira caudal é furcada. De cor cinza-azulado a verde no dorso, flanco prateado, ventre branco. Algumas manchas negras irregulares no flanco, evidentes. 18 - 22 faixas, oblíquas, escuras e nem sempre distintas no dorso. Nadadeiras escuras, sendo a caudal com pontas brancas. Jovens com 2cm são brancos com faixa escura longitudinal que se transforma em série de 7 - 12 manchas quadradas e alongadas com a idade, desaparecendo aos 15 cm aproximadamente. Atinge até 2 metros e 48 kg., geralmente um pouco menores

Habitat

Muito comuns, em vários habitats, de canais de mangue a pleno mar aberto, onde são pelágicos.. Em certas regiões os grandes adultos habitam águas rasas, por vezes com menos de 2 metros, junto a canais, bancos de areias e manguezais. Em mar aberto são vistos próximos da superfície e até 200 metros. Muito comuns ao redor de ilhas e próximo a costões. A sua distribução é circunglobal, no Atlântico Ocidental de Massachusetts ao Sul do Brasil. Regiões Nordeste, Sudeste e Sul. É encontrado principalmente na região de Abrolhos, Ilhas Trindades e no Arquipélago de Fernando de Noronha. Também é comum em Cabo Frio-RJ.

Características

É encontrada em alto mar e em áreas costeiras, nas proximidades de recifes de corais, portos, naufrágios e em locais onde se concentram pequenos peixes. As barracudas jovens formam cardumes; as grandes são quase sempre solitárias. É uma espécie voraz e agressiva, ataca qualquer objeto brilhante ou em movimento, sendo, portanto, um peixe muito esportivo. A carne também é considerada de excelente qualidade
Os maiores exemplares geralmente solitários ou em pequenos grupos. Ja exemplares com cerca de 1 metro formam grupos de algumas dezenas, observados na região da arrebentação, de vez em quando um deles arremetendo contra cardumes de peixes menores mais no raso e depois voltando para o grupo. Ao largo, junto a plataformas de petróleo ou parcéis, formam grupos de 3 - 10 peixes, grandes, à espreita. Usualmente imóveis, flutuando na água, são capazes de rapidíssimos movimentos. A despeito da má reputação, há menos de 30 casos de ataques ao homem, a enorme maioria em águas túrbidas, atraídos por objetos brilhantes, ou atacando peixes arpoados e pendentes do cinto de caçadores submarinos. Curiosos, aproximam-se do mergulhador, mas não se deve alimentá-los, uma mordida errada pode levar a mão...Quando a presa que perseguem é maior do que podem engolir, cortam-na ao meio. Sphyraena barracuda pode chegar a 3 metros de comprimento total e 50 kilos.

Reprodução

A reprodução só ocorre no verão, em mar aberto ou nas margens externas de recifes e ilhas. Os ovos pelágicos eclodem em até 48 horas. As larvas pelágicas comem zooplâncton e os jovens com cerca de 2cm acompanham detritos de superfície. Aos 4cm ja formam pequenos cardumes, entre bancos de algas, corais e rochas, na coluna de água e superfície.

Alimentação

Usualmente na coluna de água, da superfície a pouca distância do fundo, predadores por excelência, comem principalmente peixes. Carnívoro por excelência, adora peixes e lulas, chegando a penetrar águas muito rasas, com menos de 1 metro, atrás de sua presa

As barracudas jovens formam cardumes; as grandes são quase sempre solitárias

Postagens populares

VÍDEOS SOBRE O MAR

Loading...

National Geographic POD

Loading...

Google+ Followers

Google+ Badge